domingo, 31 de janeiro de 2010

Avaliação dos benefícios de uma política ambiental

Zitzke (2002) define a gestão ambiental pública como sendo a ação do poder púbico, conduzida segundo uma política pública ambiental (Quadro 1). Entende-se por política pública ambiental o conjunto de objetivos, diretrizes e instrumentos de ação, de que o poder público dispões para produzir efeitos desejáveis sobre o meio ambiente.

Quadro 1: Características e abordagens estratégicas da gestão ambiental dentro de uma política ambiental


Para Braga (2002) uma política ambiental deve ter como resultado mínimo uma redução da deterioração da qualidade ambiental, quando comparada com o que ocorreria caso essa política não fosse implantada.
Discorre ainda que com a implantação de políticas ambientais a sociedade e os indivíduos passam a ter à sua disposição um ambiente potencialmente capaz de propiciar a satisfação de uma série de demandas antes impossíveis de serem atendidas. Elas vão desde as de natureza psicológica, ligadas ao prazer estético da contemplação do ambiente belo e acolhedor, passando pelas diretamente ligadas à produção e a eficiencia do processo produtivo, como é a redução das perdas de materiais e equipamentos em um ambiente menos agressivo, chegando até as ligadas à saúde.
Conforme Zitzke (2002) o projeto deve visar uma reeducação integral e coletiva na qual é tão importante quando à ação e o comportamento (tidos como finalidade em muitos projetoseducativos denominados "ambientais) o caráter "crítico", pois sem a reflexão individual e coletiva, a ação, seja ela qual for, não possui significado e os comportamentos se traduzem como reações de conformismo.
Jacobi, (1997) comenta que o grande desafio que se coloca é, por um lado, gerar empregos com práticas sustentáveis e, por outro, fazer crescer o nível de consciência ambiental, ampliando as possibilidades de a população participar mais intensamente nos processos decisório como um meio de fortalecer a sua coresponsabilização na fiscalização e controle dos agentes responsáveis pela degradação socioambiental.
Por meio de processos físicos, químicos e biológicos há uma melhoria da qualidade ambiental. Em consequência, por causa dos processos econômicos, esse ambiente melhorado passa a constituir-se um bem ou serviço para o qual existe demanda e ao qual as pessoas atribuem maior valor (BRAGA,2002).

MIRANDA, 2009.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Energia eólica em casa

Pesquisando formas de economizar energia em casa, achei um gerador de energia eólico residencial. O gerador eólico é conectado diretamente à sua casa. Quando há vento, o gerador fornece energia para sua casa, em outra situação, sua casa recebe energia da rede normalmente.

 

O tamanho da torre também não é nada monstruoso. O tamanho   na escala de comparação esta medido em  polegadas.


Referencia:
http://windpowerenergiaeolica.com

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Ecodesenvolvimento



       Foi usado por Maurice Strong em 1973, pela primeira vez o conceito ecodesenvolvimento para caracterizar um conceito alternativo de política de desenvolvimento. (BRUSECK, 1996)
       Os princípios básicos deste ecodesenvolvimento foram formulados por Ignacy Sachs (1993), tendo como pressuposto a existência de cinco dimensões do ecodesenvolvimento, a saber:
  • Sustentabilidade social,
  • Sustentabilidade econômica,
  • Sustentabilidade espacial e
  • Sustentabilidade cultural, introduzindo um importante dimensionmento da sua complexidade.
       "Esses princípios articulam-se com as teorias de autodeterminação que estavam sendo defendidas pelos países não-alinhados desde a década de 60". (SACHS), 1993)
       As dimnsões citadas acima refletem a interpretação de Sachs frente a temática de desenvolvimento dentrode uma nova proposta, o ecodesenvolvimento, que apresenta ações que expressam de forma clara a necessidade de tornar harmonizável a melhoria nos níveis de qualidade de vida e a preservação do meio ambiente.  O ecodesenvolvimento salientava mais uma estratégia alternativa à ordem econômica internacional, dando ênfase à importância de modelos locais baseados em tecnologias apropriadas, em particular para as zonas rurais, buscando reduzir a dependência técnica e cultural.
       O desenvolvimento sustentável não se refere especificamente a um problema limitado de adequações ecológicas de um processo social, mas a uma estratégia ou modelo múltiplo para a sociedade, que deve levar em conta tanto a viabilidade econômica, como ecológica. Num sentido abrangente, a noção de desenvolvimento sustentável leva à necessária redefinição das relações sociedade humana - natureza e, portanto, a uma mudança substancial do próprio processo civilizatório. Isso se integra plenamente dentro das cinco dimensões enunciadas por Sachs (1993) e introduz o desafio de pensar a passagem do conceito para a ação.
        Braga (2002) comenta que para que a humanidade evolua para o modelo de sistema sustentável, devem acontecer revisões comportamentais em direção ao novo paradigma. A sociedade atual já despertou parcialmente para o problema, mas há muito ainda para ser feito em termos de educação e cooperação entre os povos e em termos de meio ambiente. Nosso conhecimento sobre o funcionamento do planeta ainda é pequeno , mas é suficiente para saber que prescisamos aprender a habitá-lo e usufruir dele de maneira consciente e responsável, preparando-o para que possa continuar sustentando as gerações futuras.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Severn Suzuki

Garrafas na parede

Há várias coisas que se pode fazer para reutilizar os mais diversos materiais em obras e na decoração, mas pouco se acha sobre o vidro, que além de ser 100% reciclável, ainda fica lindo nas decorações.

Martelando um pouco lembrei de uma parede feita com garrafinhas de cerveja que ví em Curitiba, em um bar/restaurante e lembrei de algumas construções sustentáveis que utilizavam as garrafas de vidro como fonte de iluminação natural nos ambientes mais utilizados nas casas e resolvi procurar no Google Imagens, fotos relacionadas para que tenham noção do quanto esta idéia é boa, linda e barata.

Esta parte da parede da casa foi feita com desenhos feitos de garras de vidro.



Estas garrafas, ao lado da porta, fazem as vezes de tijolos de vidro, só que com muito mais estilo.




Neste banheiro foram colocadas as garrafas de vidro por toda a parede, deixando o lugar bem interessante. Só por curiosidade a banheira a direita foi toda feita com a mesma massa de barro da parede, só que com pedras grandes locais e a massa foi tingida com corante natural verde.



Quando portas e janelas precisam ser fechados a luz natural continua alí. Bem  localizada a janela de garrafas fica na parte superior da parede da casa, conferindo sempre luminosidade para a sala.



Esta feita com garrafões, garrafas e garrafinhas dando um ar mais divertido a parede.







Detalhe de como fica  a parte externa da parede. Eu colocaria uma vedação na boca das garrafas, mas é só uma sugestão...

Bonito, econômico e ecologicamente correto, este  é o resultado.

Abraços!

sábado, 2 de janeiro de 2010

Móveis e acessórios de material reciclado

No festival da cidade de Londres (City of London Festival), acorridonasegunda quinzena de julho de 2009, foi instlada em uma praça uma amostra no centro da cidade (New Street Square)
Os móveis e os acessórios paradecoração expostos foram elaborados com material reciclado.

As idéias são ótimas opçõesparauma decoaçao nova, contemporânea e com baixo custo.


Lutres feitos com garrafa PET e meia-calça.



Este cesto de máquina de lavar virou um móvelç com duas funções: Banco e mesa.



Garrfas devinho cortadas viram outro lustre com muito estilo.

 
 Garrafas PET e rendas,  formam estes lustres pra lá de românticos.



Carrinho de mercado e almofadas encapadas com tecido impermeável formam uma cadeira de jardim.



Cadeir a velha e decupage com jornal e papel de presente  usado.  Renova a cadeira esquecida.

 

Rolinhos de jornal montam este banquinho smpático e prático de ser feito.



Abajour feito com jornal velho batido com água e colocado em forma.Bonito e original.

Estas são mais provas de que o reciclado oui reutilizado não precisa ser feio nem ter cara de tirado do lixo. Estes móveis e acessórios são bonitos, cheios de charme fáceis de fazer e de baixo custo.