quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Pisos Ecológicamente corretos

Empresas investem em novas tecnologias de pisos permeáveis que garantem a absorção da água e reduzem enchentes
Avançaram, este ano, as pesquisas e lançamentos de revestimentos de piso para áreas externas que colaboram para reduzir as enchentes nas cidades, excessivamente impermeabilizadas. A primeira notícia vem da ABCP - Associação Brasileira de Cimento Portland – que, neste momento, desenvolve pesquisa sobre pavimentos permeáveis entre os sistemas já disponíveis no mercado. A técnica empregada há mais de 30 anos em países como Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos tem seu uso recomendado em calçadas, estacionamentos e ruas com tráfego de veículos leves. “Para que a construção do pavimento permeável garanta a infiltração da água, é preciso considerar toda a estrutura do pavimento e conhecer dados da região, como o tipo de solo, o nível do lençol freático e a frequência de chuvas”, ressalta Mariana Marchioni, engenheira da ABCP.

Segundo ela, todos os pavimentos precisam suportar e transmitir as cargas ao solo, resistindo às diferentes solicitações. Essa regra também vale para o pavimento permeável, cuja estrutura é composta basicamente por uma camada de base de granulometria aberta, ou seja, os agregados deixam espaços vazios onde a água infiltrada é armazenada. Essa estrutura também atua como filtro e ajuda a reduzir a contaminação da água. No revestimento, podem ser utilizadas peças de concreto para pavimento intertravado, placas de concreto poroso ou concreto poroso moldado in loco. Para se ter uma idéia, o concreto poroso permite a infiltração de cerca de 80% da água.

Esse sistema já é comercializado em São Paulo. O pavimento intertravado permeável, por exemplo, pode utilizar peças convencionais, portanto, todo fabricante que atenda as normas brasileiras está apto a fornecer o produto. Algumas indústrias de intertravados e placas de concreto também já fabricam a peça porosa.

A selagem de juntas secas de pisos revestidos com pedras, blocos intertravados ou peças pré-fabricadas de concreto maciço (impermeável) ou drenante (permeável) passa a contar com um produto inovador, o PaveSand, que acaba de ser lançado pela Intercity. Trata-se de uma areia seca, quimicamente aditivada que substitui a areia comum, convencionalmente utilizada no rejuntamento de blocos intertravados. Quando umedecida, a PaveSand se comporta como uma cola, promovendo a ligação dos grãos de areia e estabilizando a junta, efeito que não se obtém usando simplesmente areia comum. Segundo Mauro Igarashi, diretor da empresa, apesar de endurecer quando umedecida, PaveSand é suficientemente flexível para absorver variações térmicas. “Além disso, o produto faz o preenchimento total da junta; veda as juntas sem desprendimento na lavagem; impede o aparecimento de mato e fungos na junta; elimina insetos do habitat e aumenta a vida útil do piso”, destaca.




Paisagista cria pisos

Defensor de soluções em revestimento de piso que asseguram permeabilidade ao solo, o paisagista Benedito Abbud idealizou dois importantes lançamentos do setor, este ano. Em parceria com a Gyotoku, desenvolveu o Drenac, um piso altamente drenante e resistente. Produzido com 82% de material reciclado, resultante de descarte de cerâmica e cimento processados industrialmente, o piso cerâmico tem alta capacidade de drenagem da água e resistência acima dos existentes no mercado.

“O processo contínuo de urbanização pavimentou e impermeabilizou o solo, para facilitar o fluxo e a vida nas cidades. Como consequência, dificultou a drenagem. O Drenac da Gyotoku vem resolver esse dilema, pois possui os benefícios do calçamento aliado às vantagens da permeabilidade natural das águas da chuva para o solo”, afirma Benedito Abbud. Único com acabamento polido e conforto tátil, o Drenac torna o caminhar agradável, mesmo descalço, e a superfície regular facilita a tarefa de locomoção com carrinhos de bebê. Com propriedades atérmicas, o produto absorve ainda menos calor, garantindo excelente conforto térmico. Antiderrapante, evita a formação de poças, garantindo segurança. Sua eficiência de vazão drenante alcança 82%, o que facilita o escoamento de água, contribuindo para a diminuição de enchentes e a manutenção dos lençóis freáticos.




Com espessura de 6 cm e excelente resistência, a novidade permite o trânsito de veículos de passeio e tráfego leve, ideal para áreas de estacionamentos e calçadas. Blocos com 8 cm de espessura poderão ser desenvolvimento sob encomenda e irão suportar o peso também de veículos pesados, como caminhões e ônibus. O produto proporciona pontuação elevada no processo de certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) de impacto ambiental do United States Green Building Council (USGBC).

Benedito Abbud criou e o departamento de engenharia da Remaster® Tecnologia desenvolveu o Tec Garden, elemento construtivo ecoeficiente que reserva as águas das chuvas para irrigação do jardim, sem utilização de energia elétrica, bombas ou bicos irrigantes. Ideal para jardins sobre laje em empreendimentos corporativos, de escritórios e residenciais, nasce com a vocação de mitigar os efeitos nocivos das enchentes nas grandes cidades, além de economizar água e prolongar a durabilidade da impermeabilização da laje que suporta o jardim. O Tec Garden deve ser instalado sobre uma área de laje impermeabilizada, dispensando a aplicação de massa para regularização dos caimentos e o uso de ralos. “A engenharia técnica dessa solução consiste em pedestais com ‘pavios’, que suportam as placas de piso elevado e criam, assim, um vão para o reservatório de água. Sobre o conjunto são colocados a manta bidim e o produto anti-raiz, elementos que garantem o fluxo de água sem interrupções ou entupimentos”, explica Paulo Paschoal, diretor de engenharia da Remaster® Tecnologia.

Benedito Abbud ressalta que, uma vez implantado o jardim com forrações, arbustos, árvores e palmeiras, o sistema de irrigação funciona de maneira semelhante ao que acontece na natureza. “As águas das chuvas penetram no solo, são filtradas pela manta bidim e ficam armazenadas no vão sob as placas. Se a chuva for intensa, um sistema de ‘ladrões’ drena o excesso e não permite que o solo encharque. Após a chuva, a água do solo evapora ou é consumida pelas plantas, secando a terra. A capilaridade, por meio dos pavios, garante a umidade do solo e a irrigação dos jardins”, explica Abbud. Ele destaca ainda que, em casos de estiagem prolongada, o sistema prevê a captação de água da rua, o que garante irrigação contínua.



Piso industrial branco



Depois de toda a evolução ocorrida nos pisos de fábricas, acaba de ser dado um passo além com o lançamento do Anchorcrete Branco, revestimento que evita paralisações para manutenção, garante maior resistência mecânica e química, facilita a limpeza e reduz o risco de acidentes. A todas essas vantagens, a Anchortec acrescentou o elemento estético da cor branca. “Estamos trazendo para o mercado o revestimento em uretano, ideal para as indústrias de alimentos e bebidas. O Anchorcrete Branco, além de possuir alta resistência aos ataques químicos, como sangue e ácido láctico, e de suportar agressões mecânicas provenientes do trânsito contínuo de máquinas sobre o piso, também torna o ambiente de trabalho mais agradável em decorrência da sua cor branca. Estudos comprovam que as cores claras proporcionam melhor iluminação ao ambiente, podendo reduzir o consumo de energia, gerando também um conforto visual aos colaboradores”, afirma o Gerente de Negócios em Pisos da Anchortec, Ricardo Macaíba, acrescentando que muitas indústrias que precisam do uretano tinham estes produtos disponíveis, até então, apenas em cores escuras.



Fonte: AECweb
http://www.construcaoeficiente.com.br

Casa Slim

Com características contemporâneas arrojadas, a casa possui uma planta inicial de 142 metros quadrados com 2 suites, cozinha gourmet, sala de estar, sala de jantar,lavanderia e espaços especialmente preparados para receber mais 4 cômodos extras. O projeto deste modelo foi desenvolvido em parceria com o escritório de arquitetura Bacoccini. A casa Slim foi concebida tendo como diretriz conceitos contemporâneos. O foco foi oferecer um produto moderno, versátil, flexível, confortável e preparado para crescer como for necessário. O impácto ambiental da construção foi drasticamente reduzido devido a baixa geração de resíduos, à baixa sobrecarga no solo, utilização de tecnologias como painéis solares, captação de água da chuva, isolamento térmico e acústico, utilização de matéria prima renovável em toda sua estrutura.




Informações Técnicas

* Produção e instalação completa, da fundação à entrega das chaves.
* Isolamento térmico e acústico total.
* Esquadrias com vidro duplo.
* Acabamento interno em gesso.
* Acabamentos externos e internos de qualidade superior.
* Louças e metais.
* Banheira.
* Sistema de aquecimento através do piso.
* Sistema de captação e reutilização de águas pluviais.
* Sistema de aquecimento a gás auxiliado por painéis solares.
* Infraestrutura para sistema de ar-condicionado.
* Infraestrutura para automação completa de iluminação, áudio e vídeo, segurança, sistemas auxiliares, câmeras e cortinas.
* Infraestrutura para adição de módulos.


http://www.construcaoeficiente.com.br